Caso você não visualize as animações corretamente, clique aqui para fazer o download do plugin do Flash.

BM&F Bovespa

O Clube

O Clube é Brasil


Glória para o atletismo brasileiro


A B3 Atletismo constantemente tem atletas representando o Brasil em competições internacionais. São muitas as conquistas importantes ao longo da história, daquelas que despertam o orgulho de ser brasileiro - pódios em Olimpíadas, Mundiais, Pan-Americanos, Sul-Americanos, maratonas, Grand Prix, Diamond League. As únicas medalhas ganhas pelo atletismo nas Olimpíadas de Atenas/2004 e Pequim/2008 foram com atletas que eram do Clube, respectivamente Vanderlei Cordeiro de Lima, bronze na maratona, e Maurren Higa Maggi, ouro no salto em distância. Também a única medalha de ouro ganha em um Campeonato Mundial (Daegu/2011) pelo atletismo brasileiro é de uma atleta prata da casa, Fabiana Murer, no salto com vara. A história de atletas e seus feitos pelo Brasil se confunde com a do clube.

 

 
Wander Roberto/COB
Atenas 2004
 
Wander Roberto/COB
Atenas 2004
 
Agência Luz/BM&FBOVESPA
São Silvestre 2008

 

Vanderlei Cordeiro de Lima chegou ao projeto em 1994 e, com o apoio que recebeu, desenvolveu a sua carreira até a medalha na maratona nos Jogos Olímpicos de Atenas/2004, sendo personagem de um episódio que vai ficar na história das Olimpíadas para sempre. Vanderlei era Brasil em 2004, quando protagonizou um feito inesquecível - cruzou para o bronze, com um aviãozinho, no Estádio Panatinaikus, depois de uma prova tumultuada, em que foi empurrado por um ex-padre irlandês quando liderava.

 

Vanderlei comemorou o bronze, numa demonstração de fair-play que mereceu a medalha Barão de Coubertin, conferida pelo Comitê Olímpico Internacional a personalidades do esporte mundial que tenham atitudes relevantes de espírito esportivo.

 

Vanderlei também era Brasil no bicampeonato pan-americano na maratona, em Winnipeg/1999 e Santo Domingo/2003. É padrinho da B3 Atletismo e da Categoria de Formação, em que também é parceiro com o IVCL, o Instituto Vanderlei Cordeiro de Lima, no polo de Campinas (SP).

 

Quando a Bolsa adotou jovens promessas, em 1990, Elisângela Maria Adriano, aos 18 anos, estava entre elas. A atleta tem uma longa história de representar o País em competições internacionais, construída na B3 Atletismo, do início ao fim.

 

 
Agência Luz/BM&FBOVESPA
 
Agência Luz/BM&FBOVESPA

Elisângela foi a 11 Mundiais

 

Elisângela foi a 11 Mundiais, desde Tóquio/1991, e a três Olimpíadas (Atlanta/1996, Atenas/2004 e Pequim/2008). Disputou seis Pan-Americanos e tem três medalhas: ouro no lançamento do disco em Winnipeg/1999; prata no arremesso do peso, em Santo Domingo/2003, e bronze no lançamento do disco, no Rio/2007. Com o Instituto Elisângela Maria Adriano (IEMA) é parceira do Clube na Categoria de Formação.

 

 

1 | 2 | 3 | 4 | 5 | Próxima >>

Voltar à Home
Ir para o Topo
Copyright © 2010 Clube de Atletismo BM&FBOVESPA. Acesse e conheça o Instituto BM&FBOVESPA. Termos e Condições.
Content Stuff